AddThis Social Bookmark Button
soldadosg

“Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz...” (Efésios 6:15)

(Por José Ricardo Perina)

Este texto, encontrado no livro de Efésios, capítulo 6, do versículo 10 em diante, é chamado de a “armadura de Deus” ou, em outras traduções, “armadura do cristão”. Paulo escreveu esta carta aos fiéis que se encontravam em Éfeso.

Através deste texto, Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, nos alertou que a nossa luta não deve ser carnal, mas espiritual.

Nesta carta, o apóstolo nos dá diversas “dicas” de como devemos combater o inimigo, ilustrando comparativamente cada parte da armadura com um instrumento de batalha espiritual.

Neste breve estudo, vamos entender uma “arma de guerra” mencionada por Paulo: o calçado.

Quando pensamos em armadura de guerra, logo nos vem à mente a couraça (v. 14), o escudo (v. 16), o capacete ou a espada (v. 17 do capítulo 6).

Mas, um instrumento tão importante quanto esses, é o calçado. O leitor já se imaginou indo a um combate descalço? Certamente, na primeira pedra pontiaguda que pisasse, já estaria machucado e certamente seria destruído pelo oponente. Gostaria que o irmão entendesse a importância que é estar devidamente calçado num combate.

A Bíblia nos diz que estamos em combate, e nosso inimigo chama-se Satanás. Mas Deus nos deu todas as ferramentas para lutarmos e destruirmos o nosso adversário.

Não, não é na força do nosso braço que venceremos o inimigo. A guerra à qual me refiro é espiritual e neste texto, vamos entender a importância de estarmos devidamente “calçados”.

O calçado ao qual Paulo se refere, é a prontidão para anunciarmos o Evangelho.

Quando proclamamos as boas novas, estamos devidamente “calçados” e, se estamos devidamente vestidos com a armadura de Deus, é ELE quem nos protege, é o Senhor quem nos garante a vitória. E, agindo Deus, quem impedirá?

Quando Deus me mostrou esse versículo, senti como se Ele estivesse me ordenando: pregue o meu evangelho. Com isso, eu senti uma alegria muito grande, mas confesso que fiquei com receio. Eu me sentia despreparado para pregar a Palavra. Foi quando Deus me levou ao livro do profeta Jeremias: “Depois, estendeu o SENHOR a mão, tocou-me na boca e o SENHOR me disse: Eis que ponho na tua boca as minhas palavras.” (Jeremias, 1.9).

Assim, eu compreendi que não seria na minha sabedoria nem no meu entendimento que o Evangelho seria pregado.

Irmãos, o mesmo Deus que nos garante a vitória nos prometeu que colocará palavras em nossas bocas. Basta pedirmos, que Deus nos usará poderosamente para que o Evangelho seja pregado por todo o mundo.

E, se estamos proclamando as Boas Novas do Reino de Deus, estamos cumprindo um mandamento do Senhor; e se estamos cumprindo um mandamento, estamos debaixo da proteção do Mestre. Aleluia!#